O Brasil que Temos, o Brasil que Queremos

“A capacidade de concentração e de usar bem o tempo é fundamental para se ter sucesso nos negócios e, na verdade, em quase tudo. {…} Quem quiser  tornar-se  um solucionador no mundo dos negócios terá que aprender, desde cedo, a estabelecer prioridades”. ( IACOCCA, 1985)

Com o evento da COPA, deparamo-nos com um país em crise, com uma população insatisfeita, com uma triste realidade, com uma precariedade na satisfação das necessidades básicas, sejam elas de moradia, de segurança, de saúde, de educação, enfim, de sentir-se atendido em suas necessidades primeiras, que nos garantam um bem estar, paz e tranquilidade em nosso dia-a-dia. Como falou muito bem Lee Iacocca, para ser um solucionador no mundo administrativo, é preciso estabelecer prioridades. Então cabe a pergunta: – “Quais são as prioridades de nosso governo?”.

O futebol em si, enquanto esporte, é de uma magia, que só que quem entende e olha uma partida com olhos de observador, compreende àqueles que têm paixão por esse esporte. Mas, falo do futebol arte, o futebol espontâneo, alegre, do drible e da ginga, o futebol brasileiro que ganhou o respeito do mundo. Falo do futebol espetáculo, mas que, infelizmente é um recorte do sistema capitalista e, como tal, um grande negócio, os atletas belas mercadorias.

O povo brasileiro “precisa” apegar-se à escapismos,  fazer uso de fantasias para manter-se na esperança de que tudo “um dia” será diferente. Será utopia?…Será sonho?…Ficará no plano na fantasia e imaginação?…Quando me deparo com a notícia de que o Brasil gastará com essa Copa a quantia de R$ 35 bilhões, quando outros países que sediaram a Copa gastaram, 9 bilhões, 11 bilhões…Realmente fico no mínimo entristecida. Sem falar na imagem que o exterior tem do Brasil.

Em contrapartida leio uma divulgação de uma amiga que está com seu filho com problemas de saúde, dizendo que no setor de emergência do Hospital das Clínicas em Porto Alegre, por falta de leito, tinha pessoas que já estavam uma semana aguardando na lista de espera. É isso que nos revolta, são os roubos, as injustiças, a desonestidade, as mentiras….o jeitinho brasileiro de fazer as coisas.

Bem, sou brasileira, vou torcer pelo meu time do coração, e quando ouço o Hino Brasileiro, não tem como conter a emoção. Vamos Brasil, alegria sim com o futebol, com o esporte, alienação não!!!

 Abraço queridos leitores, sejamos torcedores pacíficos, PAZ NO ESPORTE!

Comentários